quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Retalhos da vida dum Algarvio - Parte 1

Vou tomando contacto com os produtos polacos do dia-a-dia, alimentares e não só. Dois deles são essenciais para a minha subsistência: leite e gel.
Até ver não tenho razão de queixa do leite. Inclusivamente encontrei um leite parecido aos meus queridos Vigor Gordo que de tão gordo que é (3,2%) até deixa-me regalado com o sabor a nata na boca. Altamente, o pequeno-almoço é sempre motivo de consolo!
O gel é igual em toda a parte graças à economia de mercado que permitiu a entrada da Garnier na ex-Cortina de Ferro, também aí não apresento reclamações.
Mas a água engarrafada... Moss, não vale nadinha! Já experimentei a Odyseus, a Cisowianka (todas niegazowana - sem gás) e outras de nomes também estranhos mas todas sabem-me a água da torneira. Diz-me a minha comadre que isso deve-se ao facto das águas das nascentes polacas serem muito ricas em sais minerais e mesmo após o processo de desmineralização e purificação é difícil torná-las menos... ia dizer como na minha terra, salobras.
Conclusão: ao pé destas águas a Água de Monchique sabe a pato. Que saudades dos garrafões do Jumbo...

2 comentários:

Blue disse...

Olá Parceiro!

Estive a ver o teu relato da viagem. Muito interessante e uma viagem que te amadureceu com toda a certeza.... Se precisares que te envie águinha da boa avisa :-) Beijos já cheios de saudades para ti e para a tua cara-metade, Iza...

zinedine ziné disse...

móóóó...ah e tal a cerveja é boa as cinco da tarde e bebi bue qd estive lá...móóó agra vens falar de aguinha e leitinho cm sabor a leite condensado hehe!!???
a agua ai é rica em sais minerais para dar cabo da azia dos polacos cm de "eno"se tratasse...moss dêem é loirinhas pó tuga beber pá... abraço mano