quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Postais da Polónia - 11

ogrodek Varsóvia é uma cidade que tem, tal como a maioria das cidades polacas, um sem-número de espaços verdes sejam pequenos jardins ou frondosos parques. A cidade é picotada por áreas onde a clorofila impõe-se ao betão e o varsoviano não tem de andar mais de 5 minutos até ao parque mais próximo ou até uma zona densamente arborizada, há imensos cantinhos verdes entre os quarteirões e até autênticos prados atrás de edifícios. Ao andar pelas ruas feias de Wola ninguém pode imaginar a beleza dos 37ha do Parque Moczydło que está mesmo por trás dos cinzentos blocos soviéticos, a rua Marszałkowska é larga e bruta em frente ao Palácio da Cultura mas encolhe-se para dar lugar às alamedas do Jardim Saxão, a feroz segurança das embaixadas americana e russa (distantes uma da outra como os Estádios de Alvalade e o Colombo) contrasta com a paz e silêncio do majestoso Parque Łazienki, residência real de verão, sem esquecer o inevitável Campo de Mokotów, espécie de estância de verão e palco de banhos de sol citadinos.

Em cada polaco reside um agricultor, o apego à natureza é natural num país onde 1/3 da sua área é floresta pura. A Polónia não sofreu a partilha de terras para cultivo como nos outros países socialistas e a sua herança verde mantém-se intocável sendo alvo de constantes atenções por parte dos seus habitantes. Muitos polacos têm o seu ogródek, um género deogrodek em ostrowiec pequena horta familiar instalada muitas vezes em pleno centro urbano onde as pessoas constroem pequenas cabanas que servem de retiro de fim-de-semana ou casas de férias para aqueles que não têm posses para as passar fora das suas cidades e para os reformados do setor primário, apesar de se estar a tornar popular entre pessoas mais endinheiradas. Estas hortinhas são legais e funcionam ao abrigo duma lei que as classifica como “instalações de utilidade pública para satisfazer as carências de lazer, recreio e outras necessidades sociais da comunidade local”, concretamente a obtenção de alimentos e frutas a preços mais compatíveis com os seus rendimentos. Alguns polacos mais abastados construíram a sua działka numa floresta fora da cidade, junto dos milhentos lagos do país ou até perto do mar e lá passam momentos de tranquilidade bem juntos da natureza. Eu conheci uma dessas działkas e confesso que fiquei espantado com o tamanho do terreno, da casa e com a sensação de isolamento que se sente naqueles locais.

O agroturismo floresce na Polónia e percebe-se porquê, a Natureza oferece o refúgio ideal para recuperar as energias gastas durante a violenta semana de competividade permanente na cidade e é lá, nas profundezas duma floresta polaca, que se restaura a alma e se readquire força. Principalmente ao som de Chopin e devidamente acompanhado duma vodca Żołądkowa Gorzka com mel.

1 comentário:

Ricardo Taipa disse...

Já estive em "działkas" fora de centros urbanos e fiquei surpreendido com a qualidade de vida que se pode ter nesses locais, principalmente quando estão a passos de uma qualquer floresta ou jardim.

E sim, concordo que o polaco está mais ligado à terra, montanha e à floresta do que ao mar, como o português. ;)