terça-feira, 25 de dezembro de 2007

O Natal na Polónia


Há muito para dizer sobre o Natal da Polónia, tanto há que não existe espaço suficiente para descrever todas as tradições e rituais deste país nesta quadra. Posso, porém, enumerar alguns constumes silesianos.

Sábado, depois do almoço, carreguei a chata com os presentes e zarpei para sul em direcção a Tychy onde viémos passar a quadra natalícia com a família Krupa. 4 graus negativos (sem neve) esperavam-nos à chegada e o cheirinho a bolos que vinha de dentro de casa convidava-nos a entrar o mais depressa possível. Percebemos imediatamente a razão do agradável aroma quando vimos os pais da Iza de avental, atarefados na preparação de 2 ou 3 bolos diferentes. Era uma das tradições da família.

Na Polónia os presentes ficam debaixo da árvore de Natal, tal como em Portugal. Tradicionalmente o jantar de Natal é composto por 12 pratos diferentes. Sim, 12 especialidades diferentes que vão desde variadas apresentações de peixe, porque não se come carne na véspera de Natal, até às milhentas sobremesas como bolo de farinha de papoila que é muito popular neste país. Os 12 pratos não são seguidos religiosamente por questão de logística mas põe-se sempre um lugar a mais na mesa para o "convidado inesperado" que poderá ser uma visita de última hora, um familiar que resolve aparecer ou mesmo um sem-abrigo que não tem onde passar o Natal e passa, desta forma, a Consoada com uma ceia apropriada. Um gesto próprio de um povo habituado a sofrimento e privações.

São feitas leituras de passagens bíblicas ou dão-se explicações acerca das comidas antes da refeição. Existem hóstias, uma para cada comensal, que têm uma utilidade interessante. Cada pessoa oferece a sua hóstia à outra que parte um pedacinho ao mesmo tempo que formula-lhe um desejo. No final dos votos, ambas as pessoas beijam-se (homens inclusivé) e tomam os pedaços de hóstia. O gesto é repetido por entre todas as pessoas para que todos transmitam votos de Natal a toda a gente. Como algarvio e filho de Faro, desejei a todos o dobro do que desejam-me, muita saúde e sorte!

Após dar graças pela comida na mesa inicia-se o jantar. Como disse, a carne não tem lugar na mesa de Consoada sendo substituída pela carpa frita com batatas cozidas e couve. Vinho caseiro para acompanhar e abrir caminho para as infindáveis sobremesas que se seguem. Um irmão da Iza chega com a sua esposa e filho à hora do chá, servido no final e que é coisa habitual na Polónia.

Os presentes são distribuídos após o chá, sem ordem aparente nem horário específico. São entregues simplesmente em mão por quem estiver mais próximo da árvore de Natal. A festa é comum entre velhos e novos e os agradecimentos são feitos ao Menino Jesus e não ao Pai Natal. Este não tem muita tradição na Polónia sendo apenas uma figura secundária na celebração do Natal. Os polacos exortam o nascimento do Menino Jesus enquanto o Mikołaj (São Niculau, nome oficial do Pai Natal) tem o seu tempo próprio noutra altura do mês. Fiquei a saber que na América não se retiram os preços dos presentes de Natal para que, se não se gostar da prenda, se possa trocar por algo do mesmo preço ou mais caro. Tem algum jeito?! Cada vez gosto mais da cultura americana...

Finda a cerminónia das prendas cantam-se cânticos de Natal. O sr. Krupa toma o seu lugar no piano e toca algumas melodias natalícias que são cantadas por toda a família, tornando o ambiente de casa verdadeiramente harmonioso. Perto da meia-noite é hora de sair de casa para assistir à Missa do Galo, coisa a que falhámos por estarmos entretidos a ver a festa luso-polaca do ano passado, em Faro, cujo dvd finalizei in-extremis durante a ceia de Natal deste ano e que foi a minha prenda de Natal à família. Por esse facto vamos todos esta tarde à igreja pelas 17:00.

Hoje, dia de Natal, serviu-se um pequeno-almoço mais consistente. Salsichas, fiambre, salame, ovos cozidos, muito pão e manteiga, carpa do dia anterior, chá e bolaria de sobra para acompanhar uma conversa mais descontraída. Os avós da Iza juntaram-se a nós, isso permitiu-me falar de bola com sr. Stawowy, antigo futebolista profissional da 1ª liga polaca, e discutirmos as sortes de Portugal e Polónia nos grupos do Euro2008.

Agora faz-se uma pausa nas comezainas. Assiste-se à mensagem televisiva do papa enquanto se espera pela hora da missa e pela refeição principal do dia. Eu partilho este bocado de vivência convosco e arranco imediatamente para o quarto, bater uma pestana. Comi tanto que só me apetece amalhar-me como os gatos.

Feliz Natal - Wesołich Świąt
ps - Eu a sair do computador e entra a mãe da Iza perguntando se quero um prato de sopa de beterraba. Qualquer dia rebolo!

2 comentários:

KATRAPILAR disse...

Ena pá! , deves estar gordo que nem uma lontra , mas não das da ribeira de Quarteira onde os "verdosos" dizem que as há , mas só eles as veem .

Toma lá um abraço de Feliz Natal e já agora não te portes muito mal no Ano Novo.

tmr022 disse...

Boas, grande experiência! Também tou na Polónia a passar o Natal. Descobri hoje que amanha é feriado (26/12), é o segundo dia de natal.