terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Jogada de mestre

Andei aqui a ganir com a falta de Halibut há umas semanas atrás, recordam-se? Pois bem, houve um casal de alminhas caridosas que lembrou-se de expedir uma bisnaga da valiosa pomada para cá causando-me surpresa indescritível. Como se não bastásse, os meus manos da Linha do Estoril (bem mais chique que dizer que moram na Abóboda) fizeram o creme acompanhar-se por outros artigos de primeira necessidade que passo a mostrar:




1) Uma garrafinha de leite Ucal porque não há outro igual. O leite polaco é bem bom (e eu sou um perito na matéria) mas ainda não encontrei leite achocolatado. O povo aqui prefere litradas de chá ou baldes de café mas eu sempre fui menino de copo de leite, o café puro sempre lixou-me o vasilhame. Um Ucal e um croissant misto, o meu pequeno-almoço da Baixa de Faro!

2) Um SG Gigante. O pouco que fumo é Marlboro Lights (tabaco de puta, eu sei) mas um Gigante é o puro sabor lusitano. O verdadeiro espírito e imagem de marca dum Manel de grandes bigodaças a mamar minis, a bela tattoo "Guiné 67 Amor de Filha", o fio de ouro com o cérebro da corvina ao peito, a mão manhosa tocando no rabo da cunhada, dentes em obras, galhardete do benfas no Renault 5 e a imagem de Nossa Senhora no tabliê, dobrada com feijão branco ao jantar, Pedras Negras tinto pra empurrar, a unhaca da higiene pessoal a pinicar o olho enquanto o Prof. Marcelo debita sugestões que ele nunca irá seguir mas a que assiste com regularidade para presumir que é culto. SG Gigante, sabor de Portugal.

3) Nestum mel. É como o doce da Raquel: É mel, é mel! Comecei por ser apreciador do de figos, passei para o de chocolate que alternava com o de arroz religiosamente antes dos treinos. Experimentei o de maçã e o de alperce (havia também, no meu tempo, o "rico em proteínas" e o de amêndoas) sem conseguir gostar deles. O Nestum mel, apesar de ser o mais célebre, nunca fui muito da minha predilacção mas vou sempre a tempo duma aventura radical. Tenho amigos que começaram a fumar borras já com 30 anos, que mal faz começar a comer Nestum aos 34?

4) Uma farinheira de Arganil. Arganil é terra baril. O Barril é uma praia perto de Tavira onde há festas da espuma ao ar livre. Se comeres muitas farinheiras sai-te espuma pelo às de copas. Se fizeres cocó ao ar livre podes ser picado por um besouro no às de copas. No Barril não há besouros. Na Ilha de Tavira há besouros. Tenho saudades da Ilha de Tavira. E do Barril, que é baril como Arganil.

5) Um tubo de Halibut. Já não vai haver mais borbulhas nem rabinhos assados nesta casa q:9

6) Um postal de aniversário. Dedicatórias, votos e a promessa duma caneca das Caldas no próximo ano. Charinga-te, mano grande!

Nem calculam o bem que me soube receber estas prendinhas. Nem eu calculo o bem que me vai saber o pequeno-almoço de amanhã. Obrigado, cabrões! q:D

1 comentário:

Rita disse...

kerido mano kom kapas,
esta é a prova que nos lembramos de ti nos mais pequenos pormenores, sejam eles uma garrafa de Ucal ou uma bisnaga de Halibut! (...estranho, né!)
Ainda ficaram a faltar alguns items que queriamos adicionar à lista, tais como, mini, tremoços, medronho, bolo rei e um cd de Fado! Mas isso fica para a próxima quando vos visitarmos na Polónia! :)
Beijos pos manos kabrões