quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

As ramelas dos outros

Polaquinhas Há a convicção que todas as polacas são bonitas e que têm corpos esbeltos, pernas torneadas e ancas desenhadas a esquadro e compasso em contraponto com as portuguesas para quem a Natureza não foi tão generosa na genética. Obviamente que não sendo isto totalmente verdade, porquanto haver mulheres bonitas e feias só depende dos olhos que as avaliam fazendo juz ao ditado “quem ama o feio bonito lhe parece”, parece-me curioso saber a opinião de quem conhece ambas as realidades do outro lado da frente de batalha, o que pensam as polacas (que estiveram em Portugal) das mulheres portuguesas?

Os resultados do estudo que tenho vindo involuntariamente a levar a cabo indiciam que a mulher portuguesa, na opinião das auscultadas, é realmente bonita mas que não se cuida, tendo o conceito de “cuidar-se” poder variar conforme as interpretações. O que para uma mulher polaca pode ser “dar um jeitinho” para a mulher portuguesa é “abafar-se com maquilhagem” e o que é visto como “pintura light” em Portugal pode ser tido como… nada na Polónia. Tudo passível de discussão mas interessante no ponto de vista das diferenças culturais na abordagem que as diferentes mulheres fazem das diferentes circunstâncias do dia: Para a polaca despejar o lixo pode ser o momento ideal para encontrar o homem da sua vida e portanto deve estar apresentável, para a portuguesa jantar fora não é razão para caprichar no rimel. Reparei também no pudor de algumas polacas em relação ao tronco, a relutância que demonstram quando se fala em roupas mais reduzidas como um top ou um bikini tanga, uma coisa notável se percebermos que há polacas que saem à rua de perninha gentil quando estão –10º, uma imagem que gela o mais fogoso.

A Inga contou-me que passou uma pequena vergonha quando foi à praia enquanto esteve a fazer Erasmus em Portugal, perguntaram-lhe porque trazia ela um biquíni tão largo. Hoje, oito meses depois da experiênciaGorda ela confessou-me não ter percebido a questão e a observação que lhe haviam feito quando ela via pela praia raparigas com biquínis chupados e sumidos entre ancas capazes de abrir túneis de metropolitano e com mais covas que a carreira do Carlos Azenha. Tentei aligeirar a coisa argumentando que as pessoas andam como se sentem bem e que as pessoas mais “fortes” (engraçado este eufemístico hábito português de chamar forte a quem tem quase 0% de massa muscular) também direito a mostrar o corpo mas ouvi-me e calei-me antes que o ridículo da situação que defendia também me cobrisse ao recordar uma tarde em que levei a Ewa à Praia dos Pescadores em Albufeira na qual ela pasmou-se quando viu uma mulher com (pelo menos) as pernas da grossura das colunas do Templo de Diana passeando pomposamente uma micro-tanga enfiada nas suas banhas.

 

Há coisas sobre a nossa terra que são difíceis de explicar mas a presunção e caldos de galinha e o hábito de olhar só para as ramelas dos outros não precisam de ser explicados tintim por tintim para serem compreendidos por qualquer pessoa.

2 comentários:

Ricardo Taipa disse...

Pois... um assunto delicado de tratar sem se ferirem susceptibilidades.

Aqui atrasado li no FB os comentários de uns amigos portugueses a uma portuguesa loira de olhos azuis (sim, espreitei a catraia) que pelos vistos é modelo...

Não deixei de sorrir pelo simples facto daquela beleza lusitana extremamente requisitada ser vista pelas terras de Kościuszko numa qualquer caixa de supermercado, numa feira a vender kiszony ogórki ou numa estação de serviço...

Pelas minhas "consultas" com as polacas -acerca da mulher portuguesa- o que me dizem é que resulta melhor o português que a portuguesa mas não deixa de ser curioso que muitas vezes quando vemos uma portuguesa de cabelos e olhos claros pensarmos que é uma estrangeira.

Para finalizar gostaria também de sublinhar que quando uma portuguesa é realmente bonita e tem aquele aspecto latino, pele morena (sem ser de solário), com olhos escuros e cabelos escuros compridos põe muitas polacas num chinelo.

Ryan disse...

Gajas... este tema e controverso para muitos mas nao para mim. As melhores e sem piscar os olhos sao as Polacas. As Romenas nao sao mas, as russas são o Brasil da Europa mas em versão branca de neve, as Checas boas como tudo, as húngaras fazem-me delirar e a lista poderia continuar... mas as Polacas opa são do melhor que há. Não as troco por ninguém. Ah... e eu não sou assim tão afficionado por louras.