terça-feira, 30 de junho de 2009

Não há condições

Trovoadas de morte, calor peganhento, cascatas de granizo salpicam a varanda, relâmpagos medonhos ignoram as minhas cortinas. Clarões assustadores entram-me pela sala adentro, riscos elétricos encadeiam-me, os trovões parece que me estão a dar uma descompostura, cada um dura 10 segundos, soam como aviões a passar no ar. Nem por todo o dinheiro do mundo eu sairia de casa agora!

Duas pessoas me ocorrem: O Mário, que mora num 16º andar paredes meias com o PKiN e quase a fazer cócegas aos relâmpagos, deve estar sentado na sala a fumar um cigarrinho e observando o reflexo dos raios no Marriot ou no meio duma partida de xadrez. A minha parceira Vera, que gosta tanto de trovoadas como eu, se estivesse aqui a esta hora já se tinha metido debaixo da cama.

Caiu uma bomba aqui no bairro! Fez-se de dia por um segundo e o sinal da TV Cabo foi ao ar. Vou tomar duche e meter-me na cama para ver se isto passa mais depressa. Puta que pariu esta merda de tempestade!!!

2 comentários:

Michelle disse...

Tou a ver k não tou sozinha neste tempo horrivel! Há 3 semanas seguidas k a chuva não pára e as trovoadas são assustadoras pa cacete :P o meu belo algarve! O k vale é k tamos quase lá... 2a feira já lá estou :) bjinho nuninho

Blue disse...

Só te digo: ainda bem que estou no Algarve! Realmente Parceiro, não queria estar aí por nada deste mundo ;-)