quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Come a sopa, Nuno, come a sopa

Os tempos são de recessão económica em todo o lado e a Polónia não é excepção. Se somarmos aos tempos de escassez financeira uma mudança de apartamento e as consequentes despesas, concluí-se que a minha conta bancária chora de desgosto ao ver-se tão maltratada.

Por essa razão vão-se espiolhando as esquinas de Varsóvia à procura da melhor relação qualidade/preço em termos de locais para almoçar. Achei um restaurante bem catita que serve business-lunches (almoços de negócios) por 20 paus, qualquer coisa como 6 euros. Comida polaca de muito bom aspecto e sabor, baratucha e em doses nada somíticas, mesmo bom para enfardar à bruta. Sopa, prato principal e uma bebida para empurrar o entulho cano abaixo. Hoje passei pelo sítio do costume, olhei para a vitrine, aceitei a sugestão da carninha do dia e pensei nas sopas do dia que eram Flaki, uma espécie de dobrada aguada e sem feijão branco, e uma especialidade lituana cujo nome não consegui descodificar. Veio a sopa do Báltico. Ei-la.


A marafada sopa, não sei se seria de tomate ou beterraba, não consegui perceber. Notei o travo azedo de iogurte (a sopa era fria) e pedaços de relva no meio. Honestamente, era saborosa mas não evitei espalhar perdigotos cor-de-rosa pela mesa ao pensar: "Vai lá tentar fazer esta mistela lá para Faro e vês a sorte que tens..."

Menos mal, não trazia pepinos.

4 comentários:

Zé de Fare disse...

Porra! Que raio de sopas comem os gajos por aí. Já sei que misturam iogurtes em tudo mas sopa cor-de-rosa ainda não tinha visto. Parece puré ou esparregado rosinha... Vai lá vai!

Tiagowski disse...

Olá,

Isso é chłodnik, pá. Já gostei mais...

PM Misha disse...

chłodnik litewski! é mesmo isso. obrigado pela lembrança, tiagowski ;)

Anónimo disse...

Se for bem elaborado pode ser uma autentica delicia. E o gaspacho ca do sitio.
Chefe Miguel