sábado, 9 de outubro de 2010

Até logo!

À noite a chuva caía impiedosa na areia da Praia, castigava os poucos carros que por lá passavam como se punisse pelo atrevimento. O mar revoltava-se e ameaçava transpor as dunas para encontrar a Ria do outro lado da praia, ondas enormes rebentavam na costa a meia dúzia de passos da estrada. No restaurante, porém, batiam-se copos de cerveja e davam-se vivas aos golos da seleção que resolveu mostrar ao mundo que realmente sabem jogar futebol e que (agora já) querem ir ao Euro2012. Mais um jantar entre amigos, a conversa saborosa cozinhada no lume duma amizade antiga, daquelas amizades que nunca se avaliam nem prestam contas.

Questões burocráticas trouxeram-me a Faro e os amigos logo se juntaram para repetidas patuscadas, coisas a que nenhum português consegue dizer “não”. Foram duas semanas de intenso trabalho e constante atenção para as tarefas principais mas também duas semanas de desgaste hepático causadas pelas sucessivas carraspanas que os amigos proporcionaram. É inevitável, quando se junta a vontade com o querer tudo acontece com naturalidade associado ao contexto das celebrações da tal amizade e companheirismo.

Agora é tempo de fazer malas e regressar a Varsóvia onde me espera outro tipo de vida, uma vida diferente mas igualmente interessante. Não vou contar com o rugir das vagas atlânticas a embalarem-me à noite nem com o aroma dos carapaus assados ao almoço mas há toda uma cidade (e um par de esplendorosos olhos verdes) da qual sinto tremenda falta e que me dá coisas imprescindíveis para que eu consiga apreciar o verdadeiro valor que tem voltar a Faro. É fundamental que eu volte a Varsóvia para gozar totalmente Faro bem como é essencial que eu venha a Faro para valorizar a experiência tremenda que é viver naquela metrópole polaca.

É tempo de voltar a casa… até que eu venha a casa de novo.

1 comentário:

Blue disse...

Boa viagem Parceiro :-)
Logo mando a receita para a Ewa :-) Bjs