sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Há coisas que nunca mudam

Possível diálogo em Varsóvia entre um português e um grupo de polacas numa noite de copos:

(Ele) - Boa noite.

(Ela) - Boa noite, tudo bem?

Diálogo real em Faro entre um português e um grupo de portuguesas numa noite de copos:

(Ele) - Boa noite.

(Ela) - Boa noite? Só se for para ti!

Moss, Capitão Favinha... Ainda acreditas no Pai Natal?!

12 comentários:

Anónimo disse...

Pois já devias saber disso há muito!
Mas também se somos tão abertas, corremos o risco de sermos catalogadas negativamente!
Temos que estar um pouco na defensiva.
Entendo muito bem as portuguesas, e é por isso, que quando posso dou um salto a Varsóvia para me sentir mulher e ser humano, ou seja, ter os mesmos instintos que a espécie masculina tem!

PM Misha disse...

tão abertas?
responder com o mínimo de educação a um cumprimento é sinal de facilitismo?
prepotência, isso sim. há inúmeras formas de afastares indesejados sem seres malcriada.
pois olha, miguinha. eu não entendo as portuguesas e sinceramente já deixei de me esforçar para fazê-lo.

Anónimo disse...

"dou um salto a Varsóvia para me sentir mulher e ser humano, ou seja, ter os mesmos instintos que a espécie masculina tem!" hã???? só se disse "boa noite"....

Zé da Bola disse...

Sem querer generalizar direi que o problema de muitas mulheres Portugueses é de pensarem à partida que são muito boas. Muitas até são mas com uma dose exagerada de vaidade para não me alargar mais nos adjectivos. O problema não é só nacional mas confesso que por terras lusitanas existe um certo exagero da parte das mulheres.

Geraldo Geraldes disse...

A questão principal a meu ver é um mal-entendido. Para ti o "boa noite" significava apenas umas palavras para iniciar possivelmente um diálogo com uma moçoila. Para essa rapariga, e uma hipótese do que lhe ia na mente, foi algo do género: "olha-me este, com esta maneira de dizer boa noite já sei o que ele quer. conversar um bocadinho aqui, depois oferece-me um copo...vamo-nos sentar num sítio mais tranquilo, oferece-me mais outro copo, e outro. Quando darei por mim, já as minhas amigas (e boleia) se foram embora e eu vou ter de ir com ele para casa. Diz que só tem uma cama, mas que posso confiar nele que não se passará nada, e depois a meio da noite salta-me para cima, sem uns preliminares nem nada, e logo pela porta das traseiras. ai que porco, que porco". Mas como ela tem uma capacidade de raciocínio fabulosa, atalhou logo com essa resposta: "boa noite? só se for para ti!"

PM Misha disse...

geraldo,
escangalhei-me a rir com a tua explanação. será que é mesmo isso que elas pensam? em todo o caso a conversa até nem me teve como protagonista porque há muito deixei de investir latim a abordar nossas patrícias.

zé,
é capaz de ser isso. eu diria o mesmo mas com muito menos eufemismos.

Ricardo Taipa disse...

Interessante tópico!

A ver se não escrevo um tratado...
Sei muito bem o que sentiste e compreendo as inevitáveis comparações.

A mulher portuguesa é diferente da polaca... ponto assente.

O homem português, regra geral, é ordinário com as mulheres... onde noutros locais o homem manda o piropo do género "deixa-me seguir-te como se fosse o teu cãozinho" o português diz "Ai que gaja mais boa!!! (assobio) dava-te uma **** que ficavas três dias de cama!".

A mulher portuguesa ganhou anticorpos o que, em parte, justifica a agressividade inicial na conquista...

No entanto um factor que também explica a atitude da mulher portuguesa pode ser a escassez de exemplares verdadeiramente notáveis ou "dignos dos melhores aplausos"...

Quando uma portuguesa é bonita, tem pernas longas e finas, cinta, rabo com dimensões apropriadas em vez da tradicional "padaria", pés tratados e bonitos, quando tem altura suficiente para que não seja uma muleta então vai ser alvo da cobiça de centenas de pilas o que leva, inevitavelmente, ao insuflar do ego(zinho) da "boazona" mas isto é para ser entendido no geral, há sempre excepções!

Ora na Polónia há muitas "gajas boas" por quilómetro quadrado e muito polaco estouvado, torpe e tímido o que dá uma grande margem de manobra para os estrangeiros, especialmente os de pele morena e com conhecimento profundo da "cantiga do bandido".

No caso português-polaca parece-me que se trata de um caso de "fogo em estopa" e, diga-se de passagem, que a mistura dos dois tipos faz bebés muito giros! :))

PM Misha disse...

ricardo,
eu brindo a isso q:)

Anónimo disse...

O Ricardo é que tem razão no que escreve!
Os piropos dos portugueses normalmente são ordinários e conseguem fazer uma mulher sentir-se ordinária.
Eu já estive dos 2 lados: Portugal- Polónia, e sei muito bem a diferença.
Mas é claro, que existem portugueses que sabem tratar bem uma mulher, que sabem como meter conversa, mas como há em 10 polacas 1 é feia, em 10 portugueses 1 consegue ser excepção! Muitos quando voltam para Portugal dizem as suas polacas para se transformarem em talibans! Sei disto, porque mtas amigas minhas polacas tiveram que passar pela transformação!

Anónimo disse...

Não é preciso que que sejam Polacas! Basta que não sejam Portuguesas para conseguirem sair de uma tentativa de engate em beleza. Com educação e "na mó de cima".
Falando de uma forma geral, uma das grandes diferenças entre as duas nacionalidades é que as Polacas, mesmo as mais giras, conseguem ver o valor da pessoa para além da carteira... Quando foi a última vez que viram uma Tuga tipo helicóptero (Gira e Boa) com um pé rapado?!...

Dannymad disse...

Bom tópico e exemplo de como a mulher portuguesa não sabe aceitar um cumprimento. E não estou a falar de críticas, porque aí, ponto assente que criticar uma mulher portuguesa, mesmo se for no sentido construtivo de ela aprender com o seu erro, é dar um tiro no nosso pé se queremos ter alguma coisa com ela ou se temos já algo com ela.
Será que custa tanto responder duma maneira civilizada a um boa noite, mesmo que este venha com intenções de "engate"? É que um boa noite é apenas um "boa noite!" não um "bem deixemo-nos de merdas, onde é que vamos dar uma!". Pelo menos deixem o rapaz chegar à parte do "Como se chamam?" ou "Posso vos pagar uma bebida?". Aí sim se não houver interesse respondem delicadamente que não ou digam que teem namorado. Eu pelo menos sei compreender que isso é um "NÃO", mas isso sou eu que sou luso-estrangeiro. LOOL.
Quanto à síndrome da "Portuguesa Boazona" há muitas que o são, outras enquadram-se no escalão "boa" e acham-se que são boazonas, e outras acham-se e não valem nada. Há pra todos os gostos. loool.
Em relação ao comentario do Ricardo, sim há muitos homens portugueses que não sabem tratar uma mulher, mas noutros casos há muitas mulheres que não sabem lidar com um piropo inteligente ou bem educado tratando todos da mesma forma.
A mulher estrangeira, especialmente as bifas são muito criticadas pelas portuguesas, por serem facéis e atiradiças, mas eu aprecio muito mais a sinceridade duma bifa do que o engonhar e prepotência da maioria das portuguesas, pelo menos com as bifas vemos logo quem é fácil ou não ( nem todas são fáceis!)enquanto com a portuguesa só o descobrimos a maioria das vezes depois de já estarmos envolvidos com ela porque fazem-na pela calada.

Bom blog e Bom Ano 2009 ao autor aí pela Polónia!

PM Misha disse...

dannymad,
obrigado pelo óptimo comentário e pelos votos.
grande abraço e bom 2009 p ti tb.