domingo, 21 de dezembro de 2008

E ainda a procissão vai no adro

O valente cadelão que apanhei ontem foi tudo menos inesperado. Surpreendente foi a minha boa vontade em meter os pés em bares nos quais eu já tinha posto a cruz há muito tempo. Foi também uma surpresa a minha chegada a casa às 7:00 da manhã, não me orgulho de ter conduzido com álcool no sangue (terá sido sangue no álcool) mas consegui levar a nau a bom porto.

Hoje ainda não saí da cama. O sol brilha lá fora como se quisésse incendiar o quarto para que eu levante o cu e saia à rua. Ligaram-me para me desencaminharem outra vez mas a minha voz cavernosa indiciou imediatamente a indisponibilidade para tais feitos. Tenho um jogo de bola marcado às 20:30 mas o chassi está todo amolgado e tenho cãimbras em músculos que não sabia que existiam.

Vou ver se tomo um duche, enxaguar a ressaca e pôr-me a caminho da casa da minha irmã para jantar tranquilamente. Os jantares de Natal vão-se contabilizando e só resta um, por fim. Depois é o salto do pardal até à passagem do ano. Mas isso é só depois.

Espero que a vossa quadra esteja a ser menos tóxica que a minha q:D

2 comentários:

LeNa disse...

Pois pois não quiseste ir ao jantar do sushi...

Desnaturado.

Bjs

Rui Correia disse...

Camandro! Muninu Ressacas!

Para a Noite de Natal 24 -> 25 sugiro... uma visita á praia de Faro, pelas 01h da mnhã.
Vamos todos ver o lançamento do Balão mais uma vez! E beber esses whiskys também! lol

http://toquintas.blogspot.com/2008/07/lanamento-de-bales-no-natal.html