quarta-feira, 28 de maio de 2008

O que era doce... acabou-se


Depois de ter arreado a bagagem em casa no regresso a Varsóvia e de abrir uma latinha de Tyskie fresca, estico-me no sofá de braços atrás do pescoço, encho o peito de ar polaco e reflicto nos meus últimos 10 dias. Que percebo?
  1. Que todos se queixam da situação das suas vidas profissionais. A subida dos preços dos combustíveis e consequente subida dos preços dos alimentos constrói filas de 30min nas bombas de Ayamonte entre outras situações inacreditáveis;
  2. Que o clima está efectivamente a mudar. A uma semana de Junho só gozei uma mísera manhã de sol. Noutros tempos, por esta altura a maltinha já tinha apanhado escaldões e a magana já estava montada há 15 dias para bater a peitada da ordem;
  3. Que "haja o que hajar", felizmente mantém-se o bom hábito de socializar em torno dum pires de ervilhanas ou dum prato de biqueirões salgadinhos para que as minis ajudem a conversa. As tardes de Rogerinho com o Pedrão e a ponta final com o Luís Norte no Largo da Palmeira forraram-me o palato com temperos da minha terra. Referência também para um cafezinho inesperado e feliz com a Maria João (tanto que recordámos e tanto que ficou por falar) e para a pajela de carne assada que mamei com o Cachola na casa do Nelson na Amendoeira a custas dos meus ex-colegas lampiões;
  4. Que afinal não estou tão pesado assim e que ainda duro 120 minutos de peladas graves no sintético do Liceu, marcando golos. Cheirar aquelas paredes de novo fez-me recuar aos tempos da Associação de Estudantes e dos derbies Sporting-Benfica de há anos atrás e recordar os tempos em que esta nobre Escola era o meu principado. Talvez por isso tenha esquecido o peso dos 34 e tenha corrido que nem um desalmado na briga pelo repolho;
  5. Que as polacas são realmente mais interessante que as portuguesas... e de longe;
  6. Que a família está bem e recomenda-se;
  7. Que para animar uma festa, é o Cascão e mais 10! Entre a despedida de solteiro e o casamento do João foram 300 e tal horas de rir à pala do sacana;
  8. Que apesar do intenso sabor a frustração que partilho com o Giga, Fava, Toni, Cartaxo e etc., a época do Sporting foi bem boa se atendermos à frieza dos números;
  9. Que vou estudar a hipótese de instalar o MEO para Varsóvia;
  10. Que gosto imenso da minha terra e da minha região mas não vi efectivas razões para desistir deste desafio e regressar definitivamente à base a curto prazo. Um dia, certamente, mas não em breve.

E muito menos da maneira em que encontrei o País.

5 comentários:

Anónimo disse...

Primo:

Apoiado e aprovado!
Kandi
Espera-me para apimentar o ambiente varsóviano uma vez que já o fiz em Milão este fim de semana... nham...nham...

Lagoas disse...

Gostei sim senhor, abraço do Careca!!!
Espero que ainda te lembres da minha pessoa.

PM Misha disse...

prima: serás bem-vinda mas duvido que varsóvia precise de mais tempero. com o calor que aqui anda (25º) já estou satisfeito de ver coisas picantes...

careca: assim com tão poucas dicas fica complicado. n dás mais uma pista?

Fernando Pires disse...

Como te compreendo... Ai ai... Saudades da Polónia..... :|

Zé da Bola disse...

Coisas picantes vê-se por todo o lado. Mas confesso que apesar de boas como tudo as polacas são menos interessantes que as nossas Portuguesas. Mas é como se diz gostos não se discutem.