segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Mini Metro

Daqui por um mês vou receber a visita de alguns "muninos", amigos de Faro que passarão em Varsóvia alguns dias antes de abalarem para Cracóvia onde terminarão o périplo polaco com uma night como só aquela cidade sabe proporcionar. Fui destacado para arranjar alojamento ao Cachola, Sena e respectiva namorada e a preocupação é instalá-los perto do metropolitano, pois apesar de terem carro para deslocarem-se é de evitar a todo o custo conduzir na capital da Polónia em nome da sanidade mental.

O Metro é o melhor meio de transporte de Varsóvia. Não tem engarrafamentos, não se gasta combustível, não atrasa, não polui, não é lento e não é muito concorrido nas horas em que preciso dele. O seu grande problema é ser demasiado pequeno.

A linha de metropolitano de Varsóvia consiste numa linha* que percorre a margem Oeste do Vístula de Norte a Sul por 21 estações. Numa cidade cuja área metropolitana alberga mais de 2 milhões de pessoas, este meio de transporte é importante mas insuficiente para mobilizar a população. Existe uma grande deficiência na rede rodoviária da cidade em termos de qualidade das ruas e de circulação dos transportes públicos, pessoas acotovelam-se para ganhar centimetros nas filas de autocarros e elétricos. Eu não contribuo para esse peditório e apanho tranquilamente a próxima carruagem do metro se a actual vier apinhada, para stresses já bem basta o Sporting.

Esta rede de transporte foi idelizada pela primeira vez em 1918 mas só 20 anos depois começaram os trabalhos de escavações e tunelagem. Infelizmente a II Guerra Mundial estalou e os planos foram anulados. Após o final da guerra, os engenheiros quiseram recuperar os projectos de implementação da rede do metro mas as autoridades comunistas idealizavam uma nova Varsóvia ao longo do rio onde esses projectos não cabiam. Porém haveria de ser outra guerra, a Guerra Fria, que daria novo impulso às obras do Metro dada a necessidade de transporte de tropas por meio seguro, secreto e o mais profundo possível. Depois da morte de Estalin retomaram-se os trabalhos mas a ritmo muito lento devido à má situação económica, planeamento errado e burocracia pesada. Só em 1984 o programa foi aprovado e 11 anos depois a linha foi inaugurada. Os trabalhos progrediram à estonteante razão de 2 metros / dia e ligaram o Centro de Varsóvia a Mokotów, distrito populoso do sul da cidade onde, curiosamente, resido.

Hoje ainda se planifica a expansão da linha de Metro. 4 estações serão inauguradas este ano e a extensão para a margem Leste do Vístula (2ª linha) tem 2011 como ano de inauguração. Previsões mais realistas afastam essa possibilidade para 2014, o que irá contrariar as expectativas que faziam do Metro o transporte ideal para o novo Estádio Nacional, a ser construído no distrito de Praga, margem Leste.

Eu tive imensa sorte ao ter encontrado um belo apartamento situado a 2 minutos a pé da estação Wilanowska e espero que os "muninos" também não fiquem muito deslocados. Há muita cerveja para beber e os regressos a casa querem-se curtos. Entretanto convido-vos a uma viagem desde casa até aos subúrbios Norte de Varsóvia.

Zapraszam do Metra.







* A única linha existente é a desenhada a vermelho, todas as outras são projecções.

3 comentários:

Anónimo disse...

A minha curta experiência em Varsóvia deu para perceber que é uma cidade que carece ainda de muita infraestrutura. De uma capital europeia requere-se um pouco mais. Sinceramente fiquei um pouco decepcionado. Enfim... os centros comerciais e afins são bons para quem gosta de compras mas há coisas bem mais importantes que isso. As estradas são horríveis, o tráfico um desafio à paciência (lembra um pouco o mundo árabe)... enfim... decpção

E foi assim... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabi disse...

Ha um tempo, convivi com muitos poloneses(ou polacos, como voces dizem, heheh)..e desde entao, me interessei muito para saber sobre a vida na Polonia..
Gostaria de parabenizar voce e tambem os outros portugueses..escrevem muito bem..acompanho sempre, e cada vez fico com mais vontade de conhecer esse pais...