sábado, 9 de fevereiro de 2008

Retalhos da vida dum Algarvio - Parte 5

Este fim-de-semana vim a Tychy pela primeira vez no ano. É sempre bom rever esta gente tão simpática e acolhedora, tão bom que ao entrar na casa sempre bem cheirosa da família Krupa esqueço-me imediatamente do suplício que é fazer os 320km que separam Varsóvia desta cidade do sul da Polónia. O problema não é a distância propriamente dita, é mais as condições em que essa distância é percorrida.

A Polónia não tem auto-estradas de jeito, esse é um facto de que os próprios polacos se envergonham e não têm pejo em admitir que é inadmissível a sua capital não ter nenhuma das entradas servidas por auto-estradas. Aliás, no "distrito" de Varsóvia simplesmente elas não existem. Custa conceber mais de 300 km por estradas permanentemente interrompidas por semáforos, atravessando pequenas localidades ou grandes, como Częstochowa onde apanho sempre brutais engarrafamentos. As inversões de marcha são armadilhas constantes para as quais temos de estar em permanente alerta bem como um eventual autocarro que pode muito bem decidir mudar de direcção sem prévio aviso, vulgo pisca-pisca.
Um país com uma área três vezes superior e uma população quatro vezes maior que Portugal tem uma rede se estradas muito má para as suas exigências. O crescimento económico da Polónia (+ de 6% em 2007) não tem tradução na criação e desenvolvimento da sua rede viária, cujas autoestradas foram construídas a partir das estradas iniciadas pelos governantes da Alemanha nazi. Para dar uma idéia, apenas 346 km de estrada na Polónia cumprem os critérios da UE.

A A1 é suposto ligar o norte da Polónia ao sul, desde a cidade portuária de Gdańsk até à fronteira checa em Gorzyczki. Dos 582 km planificados existem apenas 42 construídos desde 1978 e que não podem ser considerados autoestrada por terem cruzamentos de nível. Percorro 4 desses 42 km entre Tychy e Varsóvia e não são nada de especial, ao nível dum qualquer IC português. Esta estrada fará parte da Estrada Internacional Europeia E75 que ligará Vardø, na Noruega, a Sitia, na ilha mediterrânica de Creta. Prevista conclusão em 2010 mas as opiniões mais sensatas apontam para 2013.
A A2 cortará a Polónia em duas metades horizontalmente, começando na fronteira alemã e prolongando-se por 610km até Terespol que faz fronteira com Brest, na Bielorrúsia, e será parte da E30 que estende-se desde a cidade portuária de Cork, na Irlanda, até à siberiana Samara. Aqui já existem 250km disponíveis desde 2006 distribuídos perto de Poznań e Łódż, sendo que o troço até Varsóvia será começado este ano.
A A4 foi a que utilizei ao entrar na Polónia e por ora vai desde a fronteira alemã de Gorlitz até Cracóvia. Quando concluída, em 2012, prolongar-se-á até à Ucrânia e completará a E40 fazendo ligação entre a cidade francesa de Calais e Rostov-na-Donu, na Rússia. Esta é bem boa e dá um jeitão para apanhar bezanas em Cracóvia, é sempre a direito! Podemos vê-la na imagem aqui à esquerda.

E é o que há! De resto, é um castigo ter de ir a qualquer lugar, mesmo curtas deslocações tornam-se maçadoras devido à má qualidade do piso. Com os solavancos da viagem consegui perder a placa da matrícula que estava na frente do carro e nem sei se não terá sido mesmo em Varsóvia. A capital tem ruas com tantos buracos que nem o mais temerário condutor de carros de bestas atrave-se a circular a mais de 10 passos/hora. Palpita-me água pela barba ao pessoal que queria vir cá assistir ao vivo ao Euro2012, e sabendo que eles estão mais atrasados que os vizinhos polacos, nem quero imaginar como será o cenário na Ucrânia!

3 comentários:

Anónimo disse...

16 horas:Almoço no zé maria..serviço alternado pelo Vitor e Fernando(eufórico com o resultado com o Marítimo),sol mas com um levante assanhado e ao fundo o campeonato de surf..enfim a nossa Ilha onde não falta vislumbrar o tio seguido pelos seus cães...Abs

Lena disse...

E não esquecer as empresas portuguesas que ajudaram e ajudam a que a Polónia tenha umas estradas mais decentes!!!

Zé do Benfica disse...

No inicio de Janeiro fui do Sul desde Bielsko até Mazury... Posso dizer que não foi nada confortável viajar tantas horas por uns 500 kms.... Auto estradas até Varsóvia. Deve ser uma lenda. Começo a ter dúvidas se a Polónia e Ucrânia vão organizar o Euro. Tá tudo mesmo muito atrasado e as estradas são muito necessárias. Para não falar ainda do famoso novo Estádio em Varsóvia... Para quando?