sexta-feira, 17 de julho de 2009

Faro 09 - Eu estou lá!

cartaz_09_PT_grNo meu quarto, janela aberta para o Atlântico, assisto à parada e preparo-me para a primeira noite em branco das três que me esperam, tantas quantas as que pertencem à 28ª Concentração Internacional do Moto Clube de Faro. Três noites a ouvir escapes abertos, ratéres e a ver grandes máquinas de duas, três e até quatro rodas a exibirem acrobacias ou a passearem-se para admiração dos milhares de espetadores que demandam a Praia de Faro e o Vale das Almas, lugar onde se realiza a Concentração.

Festa para uns, pesadelo para outros, a Concentração é um evento que coloca Faro no mapa-mundi em virtude da sua reputação além-fronteiras e de um carisma que faz dela a segunda maior na Europa, apenas atrás da de Jerez de La Frontera. Dezenas de milhar de motas e respetivos motards descem Portugal para estar presentes em Faro, outros aterram no aeroporto e fazem a pé os menos de 1000m que os separam do recinto da Concentração - característica única que possibilita aos visitantes abandonarem o evento 10 minutos antes do check-in abrir. A cidade engalana-se para receber os visitantes e fá-lo com satisfação pois318 a capacidade dos hotéis esgota-se, os restaurantes e cafés estão sempre cheios e o povo pode espantar-se com as muitas motorizadas que percorrem a 125 e a Via do Infante. Motas de luxo, outras insolitamente alteradas, choppers, moto4, de estrada, de competição, de cross, scooters, vespas, tudo. O recinto é uma espécie de Motolândia no campo, uma pequena cidade montada num pinhal onde se pode comer nos diversos restaurantes que lá existem, tatuar uma roda alada nos gémeos, delirar com o concurso Miss T-Shirt molhada ou com o show de strip-tease, refrescar o corpo no lago artificial, absorver os milhões de litros de cerveja que lá se vendem ou assistir aos muitos concertos rock que são organizados. Este ano os Europe são cabeça de cartaz.

O Moto Clube de Faro tem sentido alguma resistência ao organizar a Concentração devido a alguma controvérsia política no que diz respeito à propriedade do recinto onde se realiza o certame e devido ao transtorno que o enxame de motas causa aos automobilistas e aos cidadãos que prezam o seu sossego. Não é fácil conviver 4 dias no meio de 20 ou 30 mil motas e ouvir os seus ruidosos escapes sem poder evitá-los, é uma autêntica loucura circular nas ruas e estradas de Faro pois a qualquer momento um ratére pode explodir nas orelhas e os lugares de estacionamento ficam mais escassos do que os políticos sérios.

Mas é inquestionável a saúde que a Concentração traz a Faro. Nenhum outro evento projeta a cidade da mesma maneira que a Concetração o faz e nenhum acontecimento faz Faro constar em todos os telejornais e  blocos noticiosos de toda a imprensa nacional como a Concentração. É de frisar a vertente de filantropia desta or67073_zjs6Hganização que já ofereceu ambulâncias, motos todo-o-terreno, material de primeiros-socorros e equipamento de emergência médica aos Bombeiros, Cruz Vermelha e outras instituições de socorro, material esse comprado com parte da bilheteira da Concentração. A Concentração do Moto Clube não pode ser definida pelos malucos que abusam da sorte em piruetas inconscientes e não tem de ser denegrida pelos acidentes fatais que resultam da irresponsabilidade de alguns motoqueiros menos adultos, ninguém pode ser acusado como responsável pelas parvoíces que alguém comete em determinado momento apesar da forte (mas discreta) presença da GNR - em anos anteriores eu vi 1 GOE a cada 5 metros ao longo da Avenida Nascente.

Faro beneficia com a Concentração apesar das noites mal dormidas. O dinheiro que os seus visitantes deixam na cidade e a forma como cada um agradece a hospitalidade farense no habitual e espetacular desfile de domingo de manhã cobre perfeitamente o dano sofrido por estas três loucas noites em branco.

1 comentário:

Blue disse...

Concordo plenamente com este teu post Parceiro. Apesar de não ser nada adepta desses "bichos" ruidosos, não há sombra de dúvida que é um motivo de orgulho para Faro ter um evento deste tamanho, e que, de ano para ano veio a melhorar, mesmo mortes, acidentes etc, têm sido reduzidos ao mínimo possível...

Agora a melhor recordação que tenho das concentrações é realmente esse "desfile" de GOEs, cada um melhor que o outro ;-) acho que foi o ano em que gostei mais de ter sido "obrigada" a ir me meter no meio desse enxame de motos :-D

bjs