quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Soviéticos? Não, obrigado.

Como referi no post anterior,nunca pensei que a minha alcunha old-school pudésse trazer-me tantos amargos de boca mas efectivamente "Soviético" não é um apodo muito bem visto nestas paragens e já chamaram-me a atenção para tal facto.

Não é que eu apresente-me às pessoas com tal nome, nem por sombras. Estou inscrito em foruns de estrangeiros a viver em Varsóvia por achar ser uma boa maneira de fazer possíveis novas amizades e partilhar experiências com outras pessoas aqui emigradas, conhecer as suas opiniões e prosseguir cada vez melhor com o processo de adaptação ao novo país. Ora, a minha caixa de correio preferencial é demasiado explícita para os costumes da região tendo sido já motivo de advertência por parte de tugas cá emigrados e de "locals" que mostraram-se indignados com tal afronta. A História passada e recente não abona em nada o que venha da Rússia ou da extinta URSS e ainda não encontrei quem se recordásse dos tempos comunistas com saudade, bem pelo contrário.

Por muito que tentásse explicar que o cu não tinha nada a ver com as calças fui mesmo convidado a mudar o meu perfil do hi5, redefinir a caixa do correio e esquecer todas as minhas afinidades com a antiga União Soviética sob pena de ninguém passar-me cartão ou de ser carimbado como "persona non grata". Assim, se alguém quiser visitar-me neste interessante país, agradeço que esqueçam a minha alcunha farense e chamem-me exclusivamente pelo nome próprio ou pelo do ursinho fofinho que todos conhecem. Ainda a Embaixada tem de pagar a transladação do corpo.

1 comentário:

José disse...

O urso Misha lembro-me bem dele quando era miudo. E para falar a verdade ainda existe uma certa herança comunista na Polónia. Foi uma espécie de choque ver a segurança do aeroporto fardada à militar e todos os etc em Vasóvia neste Verão. Para piorar o dia estava muito nublado e fazia mesmo lembrar esses filmes de comunismo. Mas depois quando me dirigi para Krakow e mais tarde para a Silésia já foi melhor. Poucas são as pessoas que falam de forma aberta de comunismo. Imagino o que muitos passaram às mãos de russos.