segunda-feira, 23 de maio de 2011

A lenda que dá nome à terra

Wars e Sawa O nome da capital polaca, em polaco Warszawa que se lê Varcháva, provém de tempos antigos e de um casal, ele Wars e ela Sawa. A lenda reza que algures entre os séculos VIII e IX numa era em que, naquilo que hoje é a Polónia, habitavam tribos eslavas sendo os Polanos o grupo mais poderoso estabelecendo-se na zona central do território, cerca da atual cidade de Poznań. Outras tribos eram por exemplo os Silesianos que estavam radicados nas imediações de Wrocław, os Checos, os Eslovacos, estes últimos ocupando terrenos que pertencem agora à Rep. Checa e Eslováquia respetivamente, os Pomerânios, os Mazovianos entre outros grupos étnicos menos expressivos. Interessa reter que os Polanos eram a tribo melhor sucedida e que procurava expandir as suas terras ganhando assim ascendente e superioridade entre as tribos vizinhas. Nessas cruzadas participavam igualmente os líderes das hierarquias tribais que, além do papel político que desempenhavam, combatiam no teatro de guerra como qualquer soldado por serem também comandantes supremos dos seus exércitos. Os Polanos, hábeis na guerra, conseguiram atingir as margens do rio Wisła muitos quilómetros para leste da sua base. Nesses terrenos aventurou-se o príncipe Siemomysł, regente dos Polanos e pai de Mieszko I – futuro Duque da Polónia e unificador do país- numa caçada quando foi surpreendido pela noite.

Caíra a escuridão demasiado depressa e o príncipe, entusiasmado com a caça, separou-se do pelotão perdendo-se e não conseguiu encontrar o caminho de regresso. Após muito vaguear ele chegou a uma margem do rio Vístula onde avistou a luz duma modesta cabana e decidiu bater à porta porque era cada vez mais escuro e perigoso andar na floresta. Abriram-lhe a porta um pescador, Wars, e a sua mulher Sawa, que lhe deram comida e cederam-lhe a sua cama para que pudesse descansar ignorando em absoluto o estatuto do seu visitante. Na manhã seguinte o príncipe agradeceu aos pobres pescadores e proclamou:

- Não hesitastes a aceitar um estranho sob o vosso teto, alimentaste-lo, salvaste-lo da fome, do frio e talvez de animais selvagens. Por isso, doravante estas terras terão o vosso nome para que a vossa bondade jamais seja esquecida.

Outras versões da lenda contam que Sawa era uma sereia que capturouSyrenka o  pescador Wars, justificando assim a figura-símbolo de Varsóvia e até há versões que contrariam todas as existentes argumentando que Sawa é um nome masculino em Eslavo Antigo. A lenda aqui reproduzida é a mais divulgada, inclusivamente era matéria obrigatória no programa do ensino primário até há alguns anos, e é a história mais consensual e a que mais polacos aceitam como originária do nome da Cidade Capital – Varsóvia.

2 comentários:

Carlos disse...

Thumbs up :)

Ricardo Gomes disse...

Está de certeza melhor, sucinta e mais interessante que qualquer artigo na Wikipédia.