terça-feira, 24 de agosto de 2010

Verão Azul forever

Pego do Inferno De volta à Cidade Capital após uma viagem-kamikaze de 43 horas que descreverei proximamente, devo confessar que estas férias de verão foram tão boas ou melhores do que as do ano passado não sendo fácil ultrapassar a fasquia de relaxe e curtição que o Verão Azul de 2009 trouxe. De facto, este verão foi mais intenso em termos de festaria (Festival do Marisco, Peitada World Series, as Columbus Beach e Boat Party, Sudoeste, TVI, Aqua Moments, festa da espuma na Kadoc, III Concentração de Geleiras) do que o ano passado e até os meus amigos farenses se mostraram melhores dispostos do que em 2009, sinal duma possível recuperação de confiança em melhores dias.

Tenho sempre enormes problemas em mostrar o Algarve aos de fora porque, como já escrevi, o meu Algarve não é o das pulseiras fluorescentes acumuladas para se mostrar que vamos a todas as festas porque acho isso um exibicionismo bacoco de quem corre atrás do protagonismo à medida que derrete o dinheiro dos pais sem medida nem conta. Ainda assim fiz questão de mostrar parte do glamour algarvio através de visitas escolhidas ao Aqua do meu camarada Miguel e da Kadoc onde o Paulo fez a gentileza de me encaminhar para a porta VIP (por onde eu entrava quando era “sócio” da casa há 12 anos atrás) e desfrutar duma noite de espuma à borlix. Fiquei contente com isso mas mais contente fiquei com os bruás de espanto com que as minhas convidadas recebiam as praias que lhes mostrei – Farol, Odeceixe, Faro, Galé – uma reação que nenhuma festa de batom e gel despoletou.

E isto faz-me pensar, porque há quem pague balúrdios para se plantarem em resorts de luxo e gozarem sol e águas cristalinas quando temos isso tudo a exatos 20 minutos de barco a partir de Olhão ou da doca de Faro? Para quê correr meio mundo atrás de quedas de água e lagos naturais quando temos isso tudo a meia-hora de carro no Pego do Inferno?

O Algarve, o meu Algarve, é provavelmente a melhor zona turística doIlha do Farol mundo. Tem praia, serra, excelente gastronomia, vida noturna, áreas de completa paz e sossego, está suficientemente perto e longe de grandes cidades como Sevilha e Lisboa e não dista muito do tranquilo Alentejo. De volta à Cidade Capital ainda com as cores chocolate deste verão, sinto já alguma nostalgia por ter saído do meu berço solarengo e por ter deixado a maresia da Ria atrás de mim apesar de voltar a Faro daqui a um mês por motivos burocráticos.

Mas enfim, lá regressei e assim que entrei em Varsóvia fui logo beber uma cola na Plac Zbawiciela com o Mário porque o calor convidava e também para saber novidades. Bastou-me olhar em redor para ver que pouco mudou e que o verão polaco tem encantos próprios, encantos tamanhos como reza o fado. Saudades de Faro e também de Varsóvia, que bom que é poder viver o melhor de ambos os lados.

2 comentários:

Ryan disse...

Concordo com a analise de que anda meio mundo a chular os pais para ter protagonismo mas isso faz parte do que os media andam a vender. Pessoalmente eu fujo dessas coisas. Alias festas nem pensar so mesmo as que fazem em casa com os amigos ou com a familia.
E muito melhor ver paisagens naturais do que botox e sei la mais que por esses clubs da moda seja la onde for em que pais for.
O Algarve tem os seus encantos. Tenho familia que mora mais para Oeste dessa bela regiao que vale sempre a pena visitar e por que pretexto for. Pessoalmente a minha localidade favorita fica no fim do mundo.

maria zubrowka disse...

Espero que continues a poder aproveitar o melhor dos dois mundos.
Agora que regressei a Portugal ainda não me sinto como se a minha vida fosse completamente cá. Continuo a ter um pouco dos mundos por que passei, e isso é uma sensação fantástica!
Abraço, boa continuação de verão 2010.