domingo, 28 de setembro de 2008

Primeiro capítulo

Seguindo a tradição polaca, ontem foi dia de parapetówka, uma festa que tem lugar sempre que se compra ou se arrenda casa. Já era hora de organizar uma borga com os amigos em casa para apresentar-lhe o meu lar, um cantinho onde a portugalidade se fará notar em detalhes (bandeira, cachecóis, azeite, sport tv) e que estará sempre desponível para uma boa farra.

Foi um prazer receber muitos daqueles que transformaram a minha vida nestes últimos 10 meses de Varsóvia, pessoas que receberam-me como um deles e puseram toda a sua disponibilidade e simpatia ao meu serviço para que me adaptásse o melhor possível. Nesta Babel de gente oriunda de vários países notei com curiosidade que não havia polacos, tipo género masculino. Havia gente do Brasil, EUA, Perú, Bielorrúsia, Inglaterra, Venezuela, Portugal mas os representantes da Polónia eram todos do sexo feminino. Foram convidadas raparigas e respectivos namorados mas foi com espanto que recebi as confirmações das suas presenças apenas individuais, alegando que "eu não quero que o meu namorado vá". Já estou há quase um ano neste país e só conheço dois polacos, não percebo porquê. Enfim, adiante.

Foi uma party à antiga portuguesa com todos os ingredientes que um bom tuga que se preze gosta de ter: Comes e bebes (mais bebes que comes, claro), gajas boas com fartura, música, o segurança do condomínio a vir avisar duas vezes do granel que se estava a fazer, bebedeiras engraçadas, cenas entornadas no chão e a bófia a fechar a tenda às 2:30 da matina porque a vizinha do 2º andar reclamou - eu moro no 5º e último andar.

Daí que estou esperançado que este tenha sido o primeiro de muitos memoráveis (ou como se diz na minha terra, inolvidáveis) momentos neste canto de Varsóvia. A ver o que o futuro me reserva.

As fotos serão publicadas nas devidas estâncias, Hi5 ou Facebook.

3 comentários:

Zé da Bola disse...

Moras num bloki?
Espero que seja qualquer coisa fora do estilo Polaco. Já vi alguns blokis que miséria. Fala-se muito de África mas aqui é parecido.
Só gostei de um bloki até agora mas tratava-se de gente com grana.
De resto só de ver ao longe é mesmo de ficar ao longe porque o interior é realmente degradante. Enfim... A Polónia que tenho de me habituar.
Epá... Brasileiros na Polónia? Eles não andam enganados? Parece um comentário retardado mas normalmente eles imigram sempre para países com grana.
Ok aproveita o momento now e continua a impor o uso do azeite em vez da manteiga nas batatas.

PM Misha disse...

Negativo, amigo. É um condomínio fechado com segurança à porta para afugentar os pássaros. Edifício e mobiliário moderno, também porque Natolin é um bairro moderno cujas habitações não têm nada a ver com o estilo pós-guerra. 64 m2 muito bem distribuídos, voltados para SW (mesmo na direcção da terrinha), garagem e piwnica, uma espécie de arrecadação subterrânea para guardar cenas que não tenham espaço em casa.
o meu patrão é brasileiro, um dos poucos que conheço cá. de resto penso que não hajam muitos.
percebo-os: o clima, a colida e o idioma são a antítese do país deles.
melhor, assim sobra mais para o tuga q;)

Anónimo disse...

Cara mais idiota esse Zé Bola, típico português frustrado e perdedor.

Vanderlei
Varsóvia