terça-feira, 27 de abril de 2010

Na Polónia sê Polaco - 9

Kefir Uma parte importante da cultura dum país são os seus hábitos alimentares e a sua gastronomia. No meu trabalho enfatizo esta componente para acentuar as diferenças entre os usos dos polacos e dos portugueses, povos muito diferentes no comer quer seja nos horários de refeições, quer seja naquilo que comem. Outros emigrantes portugueses têm dedicados linhas às coisas estranhas que os polacos comem do tipo pepinos em conserva – uma coisa abominável, pasta de rábano a que dão o nome de chrzań e sabe tão mal como chupar uma pilha descarregada ou a bela da couve fermentada que eu sempre designo de “couve quase podre”. Em abono da verdade, na Polónia também se podem encontrar delícias como as sopas polacas, consistentes e nutritivas além de saborosas, e todas as carnes frias e quentes que se possam imaginar. Os polacos cozinham bem a carne, especialmente grelhada e a qualidade deste alimento é reconhecida ao ponto da Polónia ser um importante exportador. Coisa que não me entra na cabeça, porém, é o remédio nacional contra a ressaca – o Kefir.

Este produto é um laticínio e é como se fosse uma espécie de iogurte com a diferença de ser produzido com outro tipo de bactérias. Tem umBactéria de Kefir sabor que se situa entre o iogurte natural e o leite que ficou aberto fora do frigorífico por 3 dias, azedo e desagradável,  e é usado principalmente no tempero de saladas. O kefir tem também um papel fundamental na cultura deste país como o remédio santo contra a ressaca pois raro é o polaco que não engole meio quilo de kefir no rescaldo duma inundação de wódka. Há também quem prefira kefir ao pequeno-almoço para limpar as impurezas do estômago, utilizando este produto como um detergente gástrico.

Maślanka fresca Eu sou um perito na matéria de laticínios, sou fanático por tudo o que diga respeito a leite e bebo mais de um litro de leite fresco por dia sem especial esforço, mas este kefir custa-me a entrar na ideia e não vejo utilidade prática para o produto. Sabe mal como o raio (a Karolina comprou um mas não tinha vontade de comê-lo e deu-mo para mal dos meus pecados), não substitui cabalmente a maionese na salada e continuo a preferir a minha fórmula de “uma litrada de leite antes de um intenso round de junk-food” para curar o ressacão. As singularidades dos laticínios polacos não se ficam pelo kefir pois também a maślanka tem protagonismo. O equivalente ao português leitelho - o líquido que sobra depois da nata batida ser transformada em manteiga ao qual são adicionados aromas de morango e baunilha e que são consumidos como um iogurte aguado.

Maślanka Nunca vi kefir nem maślanka em Portugal e não sei se esta invenção do Cáucaso já chegou ao Atlântico. Não sei se outros patrícios experimentaram esta coisa estranha e quais a suas opiniões. Eu passei quase os três anos que tenho vivido na Polónia sem recorrer a tais especialidades para me azedar os dias, acho que posso muito bem passar mais uns quantos. E não me lixem! Depois de passar a manhã a limpar a tubagem com um litrinho de leite do dia, um Double Whopper do Burger King é do melhorzinho  que há para curar uma ressaca, tem algum jeito tratá-la com leite azedo?! Isso é o mesmo que tentar apagar um fogo com petróleo…

10 comentários:

zekarlos disse...

Encontrei o teu blog enquanto procurava tugas que vivessem na Polónia, uma vez que a minha namorada é polaca e a nossa vida futura pode passar por aí. Por enquanto, vivemos em Portugal...

Mas o que me levou a escrever neste post foi o facto do meu pai ser consumidor de Kefir, aqui em Portugal!! E já há bastantes anos!
Por acaso nunca encontrei em supermercados, mas ele tem mesmo a planta, ou o fungo, não sei bem, que mantém num boião... e trata dele para que se desenvolva... é um consumo auto-sustentável.
Já provei e realmente não é muito agradável, mas parece ter benefícios para as defesas imunitárias e hipertensão arterial. O meu pai é hipertenso e tem notado diferenças consideráveis.

Aproveito também para fazer um pouco de publicidade... :P A minha namorada também tem um blog sobre Portugal:

http://moja-portugalia.blogspot.com/

Além disso está a fazer um website sobre eventos culturais na Polónia, tipo motor de pesquisa, em que qualquer pessoa se pode registar e anunciar ou procurar qualquer tipo de evento:

http://www.kultura.info.pl/

Ainda está numa fase inicial mas pode ser que aches interessante, ou quem sabe amigos teus na Polónia estejam interessados em colaborar.

Abraço e parabéns pelo blog

PM Misha disse...

logo dou um pulinho para ver esses sites, obrigado pelas dicas e pelos elogios.
abraço.

Joao Tavares disse...

Uma coisa que provei, e é tradição pela altura da Pascoa (pelo menos na família da minha namorada), é uma cena que só sei o nome em inglês, "horseradish".

É uma espécie de raiz ou planta que sabe mal como o raio até faz lágrimas nos olhos lol, tipo wasabi meio picante meio mentol...

É realmente preciso ter-se algum estômago para se comer aquilo xD

PM Misha disse...

é o rábano, o tal temível chrzań que aqui faço menção. terrível!

Ricardo Taipa disse...

Também me incluo no grupo dos lacteo-devoradores mas os polacos ainda não me convenceram a consumir o Kefir e dispenso as suas propriedades terapeuticas. O mesmo se aplica aos cournichons e à couve podre bem como ao chrzań.

Hà certos pratos que são mesmo feitos para os locais.

Ryan disse...

Couve meio podre ainda vá que não vá mas leite podre, maslanka ou que raio... nem pensar. Aliás na Polónia até nem se come mal. Não me posso queixar. O que se come mesmo bem por cá é comida nacional quando a temos ;)

Joao Tavares disse...

Gosto muito da comida "góral" :D servem muito bem e a comida... muito boa também! e claro... há sempre animação, não é que a musica góral seja a minha favorita, mas pelo menos é divertida e não fica nada mal em restaurantes típicos :P

Rui Correia disse...

Sovietico, o maior, sempre em alta. KEFiR ? É ruim como o raio, e todos os dias tenho que mamar com isso! A minha mãe tem o seu KEFIR de estimação. Mama litradas daquilo. Enfim... Nao consigo entender.

Anónimo disse...

Em Portugal existe Kefir à venda nalgumas lojas de produtos naturais e numa loja de produtos russos na avenida do Brasil em Lisboa (mais barato e melhor)

Érica Jullian disse...

No Brasil minha mãe conheceu o Kefir através de amigas, não sei se consumimos de forma diferente, mas o gosto não é tão ruim quando adicionamos açúcar ou batemos com frutas.Puro ou em saladas não temos o costume, experimentem dessa forma e verão que o gosto melhora!